Quando a primavera do ano de 1990 começava a desabrochar, a recém criada Estância Califórnia via nascer seu primeiro produto Árabe: Taymara, uma linda tordilhinha, filha do meio egípcio AF Bocage por *Serenity Mashalla. A partir desse momento Florivaldo de Carvalho decidiu: o Cavalo Árabe teria um lar permanente em sua propriedade, tanto que a Estância, passou a se chamar Haras e Estância Califórnia e as iniciais HEC passaram a dar o sobrenome a uma das mais fecundas e importantes criações da raça no Brasil. Hoje, após 20 anos criando Cavalos Árabes, Florivaldo, a esposa Mariluce e o filho Marcelo, têm uma história magnífica para contar sobre o HEC e seus Cavalos Árabes. Uma história construída com muita dedicação, empenho e paixão que resultou em 177 produtos nascidos no haras, incontáveis títulos em exposições brasileiras em halter e performance, 8 títulos de Campeões e Reservados Campeões Nacionais, importantes produtos se destacando em Enduro, craques nas raias de Corridas e vários animais exportados para Estados Unidos, Europa e América do Sul.
Diretor de uma das mais fortes instituições financeiras do país, Florivaldo alimentava o sonho de infância de um dia poder se dedicar exclusivamente, como seu pai, a um pedaço de terra generoso e promissor. Em 1987 começou a vasculhar o interior do Estado em busca do chão definitivo dos Carvalhos. Encontrou no município de Quadra, interior de São Paulo, a área que procurava. Era uma antiga fazenda de gado de leite, terra fértil, água em profusão, topografia de recortes suaves e muito trabalho pela frente. Florivaldo ainda em processo de desligamento do banco, estudava a vocação de sua nova propriedade quando, numa dessas idas e vindas entre a fazenda e a cidade de Tatuí, sempre acompanhado pelo filho Marcelo, viu uma faixa anunciando um leilão de Cavalos Árabes que iria acontecer no fim de semana seguinte. Os olhos de Marcelo brilharam e ele fez o pai prometer que iriam, ao menos, ver os cavalos. O Leilão era do Haras São Judas Tadeu, importante criação de Cavalos Árabes da região. Eles foram e voltaram com 3 éguas e muita expectativa. Desde o início, o que mais impressionava Florivaldo e Marcelo era o refinamento e elegância harmonizados naqueles cavalos em um tipo de rara beleza, inconfundível ao longe nos pastos. Logo em seguida veio a descoberta da movimentação exuberante que dava mostras de uma vitalidade atlética que enchia os olhos e alegrava a alma, por fim descobriram a presença flamejante e imponente como se sentisse orgulho da descendência nobre e milenar. Refinamento, Tipo, Movimentação e Atitude marcaram desde o início a criação HEC e são até hoje os sólidos fundamentos que determinam este programa de seleção.
Encontrar, acasalar e ver nascer produtos que dêem continuidade e até aprimorem característica como essas não é uma tarefa tão fácil, mas a busca por melhorar cada vez mais, levou Florivaldo e Marcelo a visitar os mais renomados haras da criação, a freqüentarem exposições no início como espectadores e depois como participantes e a pesquisar, estudar e aprofundar conhecimentos de pedigrees, tentando assim traçar uma rota segura em busca de matrizes e reprodutores que portassem e carregassem no sangue as qualidades desejadas. Esse caminho, segundo os dois mentores do Haras e Estância Califórnia, está ainda no começo a despeito de todo o sucesso já alcançado: “Iniciamos a terceira fase do HEC, agora está entrando em reprodução o primeiro grande grupo de éguas e garanhões criados por nós” - afirma Florivaldo. “Eles trazem tudo o que buscamos em matrizes e reprodutores e representam a concepção HEC de um Cavalo Árabe” - completa Marcelo.

Voltar